ImperdívelNEW LINEVídeo

Um dia neste sítio mágico não é apenas um passeio. 

Se está à  procura de dicas de passeios em Sintra (cerca de 30 km de Lisboa) provavelmente encontrou: “não deixe de visitar a Quinta da Regaleira”. E se você leu algum texto sobre a Quinta, deve ter encontrado: “é um sítio mágico”. Não vamos aqui repetir o que já foi dito. Porque sim, todas essas dicas são válidas e verdadeiras. 

A dica da Lisboa Ride é: perca-se. Passamos a explicar. 

Existe um roteiro  intuitivo e o indicado pelos guias locais. Mas você pode começar por onde achar melhor. Não tenha medo de se perder. Isso porque, para além de haver placas indicativas um pouco por toda a Quinta, em cada sítio que você parar, seja pra olhar o mapa ou beber água, a vista vai ser fantástica. As esculturas, as fontes ou as flores nos trilhos. 

Podemos afirmar que a Quinta da Regaleira é um paralelo com a vida – há vários caminhos possíveis para seguir e cada um deles leva-o a um destino diferente. O Poço Iniciático, como o nome já diz, é o início de tudo. E se você gosta de tradição, pode começar por aqui mesmo. 

Inferno de Dante. Uma imersão ao Poço Iniciático. 

Quando se fala em paralelo com a vida, o Poço Iniciático é o exemplo perfeito para isso. Assim que chega, de imediato tem de decidir por duas entradas: a da direita ou da esquerda? 

As duas levam ao início da escadaria. A vista lá de cima impressiona e até pode dar um pouco de medo. E uma dica: quem tem problemas com sítios fechados (ou mesmo algum grau de claustrofobia) aconselhamos a não descer. Apesar de ser ventilado e o trajeto durar poucos minutos, há pessoas que não conseguem terminar o percurso de 27 metros de profundidade. O poço tem nove patamares com 15 degraus cada um e pode-se dizer que é uma referência ao “Inferno de Dante” (Divina Comédia, Dante Alighiere). 

As monitoras da Quinta deram-nos uma aula sobre a simbologia do “descer” no poço. É como se fosse uma imersão, um olhar para dentro de si mesmo. E, quem sabe, aceitar que há momentos na vida em que temos de “ir ao fundo do poço”. 

Essa experiência é tão incrível e pessoal que não queremos estragar a surpresa, mas é preciso dizer que o fim do poço existe e é lindo. Há três saídas lá embaixo que vão dar em três sítios  diferentes: o Poço Imperfeito, a Gruta do Oriente ou o Largo da Cascata. Qual deles escolher? 

Para os indecisos, um alento: é sempre possível voltar e apanhar outro caminho para continuar o passeio.

Além do poço, há outros pontos importantes para conhecer na Quinta, tais como: 

  • Patamar do Ténis
  • Torre da Regaleira (por segurança dos próprios visitantes, nem sempre a Torre da Regaleira está aberta, consulte os monitores e seguranças no dia da visita) 
  • Fonte da Abundância
  • Casa dos Ibis
  • Gruta do Labirinto
  • Patamar dos Deuses
  • Portal dos Guardiães 
  • Palácio 
  • Capela

Uma história curiosa

Nesta lista, está o Palácio da Regaleira. Será a atração principal? Depende. Toda a Quinta tem atrações imperdíveis. O Palácio é uma delas porque foi a casa do antigo dono. A Quinta da Regaleira pertence à Fundação CulturSintra e faz ainda parte dos Parques de Sintra, que são património mundial da UNESCO, mas a história, como a conhecemos hoje, começou em 1892 , quando um homem muito rico chamado António Augusto Carvalho Monteiro ou Monteiro dos Milhões, como era conhecido (justamente por ser muito rico!) comprou os terrenos para realizar um sonho. 

O sonho (ou delírio?) de um homem 

Quem vai à Quinta pode ter a impressão de quem é um sítio muito antigo. A arquitetura, a simbologia e o estilo podem remeter a um passado distante. Mas a construção não é tão antiga assim. Começou no início dos anos 1900 e, segundo a Fundação CulturSintra, ficou pronta por volta de 1910. 

Se consultar o mapa da Quinta, parece mesmo uma história de conto de fadas. Desde os  nomes das atrações e inclusivamente os mistérios escondidos em cada canto. Os funcionários dizem que tudo o que lá existe representa um sonho. O sonho de António Augusto Carvalho Monteiro que se tornou realidade graças ao talento do arquitecto e cenógrafo italiano Luigi Manini. Por isso, ao passear pela Quinta, pare para observar os detalhes da arquitetura. São fascinantes. 

“Inesquecível”. A experiência de uma família nos caminhos da Quinta

Como vimos, são muitos caminhos dentro da Quinta. E para quem quer ir com a família, é um sítio perfeito para crianças. Foi o que o casal Leidy e Carlos fez. Eles são portugueses, mas têm família na Venezuela e… moram na Espanha! O casal quis trazer os filhos Eric, de seis anos e Nicole, de três, para conhecerem um pouco da tradição de Portugal. 

A maior parte do trajeto na Quinta é a céu aberto, o que torna o passeio mais divertido para os miúdos. Encontramos a família no Portal dos Guardiães, um bom espaço para descansar um pouco. 

“A sensação, principalmente, ao se ter crianças, é de liberdade. De poder explorar, poder conhecer

e ensinar a eles a beleza que nós temos da Natureza. Aqui eles podem se sentir livres. Também ensinar que as belezas que temos não são de agora, são da antiguidade e que não se perde a identidade portuguesa”. 

Passeio seguro

A liberdade a que Leidy se refere é também em relação ao turismo, apesar da pandemia. A Quinta da Regaleira é um sítio muito grande e, num período com menos turistas, não existem aglomerações. Além disso, o espaço tem normas e cuidados desde que reabriu, em maio de 2020, como o uso obrigatório de máscara nas áreas internas, álcool em gel para higienização das mãos, distância mínima entre os visitantes e número restrito de pessoas dentro dos sítios fechados, como a loja, a bilheteira ou o palácio. 

A família de Leidy disse que se sentiu segura porque não havia tanta circulação de pessoas, por isso o passeio foi tranquilo. 

Talvez  por morar tanto tempo fora de Portugal, a família encanta-se com o que encontra em cada passeio. “Descobrir, encontrar e entender realmente a história de Portugal, dos seus rincões, seus cantinhos”, declara. E, para finalizar, a turista portuguesa disse: “para resumir numa palavra a experiência do dia de hoje, principalmente com as crianças: inesquecível”. 

Não vá à Quinta antes de ler isto: 

Ao visitar Sintra, uma dica é visitar um palácio a cada dia. É que todos são grandes e há muitas atrações em cada um deles. Organize-se para conhecer tudo com calma e muita disposição. A Lisboa Ride separou algumas dicas úteis para que seu passeio seja incrível: 

Calçado confortável e muita água  

Há subidas, descidas e escadas por toda a Quinta da Regaleira, por isso é fundamental estar com um calçado e roupas confortáveis. Além disso, apesar da Quinta ter fontes, como a da Abundância, por exemplo, a água não é potável. Por isso, leve a sua garrafa de água. Também é possível comprar na cafetaria do espaço. 

Não perca o horário de entrada dos sítios fechados 

Se o sol estiver muito forte, o ideal é conhecer primeiro o Palácio da Quinta que fica ao lado da Capela Santíssima Trindade. Ambos têm horário de encerramento, então é mais indicado separar um tempo no meio do passeio para não perder a entrada. O palácio e a capela fecham às 17h30. A Quinta encerra as atividades às 18h30. 

Preços e horários

Existem as visitas guiadas e as visitas livres. Cada uma tem um preço diferente. Além disso, todas as últimas quintas-feiras de cada mês há passeios noturnos. A Quinta da Regaleira abre às 10h e a última entrada é às 17h30. É possível comprar os bilhetes pela Internet. Consulte os preços e os horários aqui

Como chegar desde Lisboa 

De carro: via A137 (mais rápido) ou A16 

De transporte Público

Comboio: Comboio – principais estações: Rossio (centro de Lisboa), Entrecampos, Oriente e Sete Rios. Consulte preços e horários aqui

Autocarro: Sintra Express. Consulte preços e horários aqui

E você, do que é que está à espera para embarcar nesta experiência?

Quer mais dicas? Siga-nos nas redes sociais!

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *