CulturaNEW IN

Não? O que está a perder? Este é um dos centros culturais mais importantes de Lisboa que, além de exposições permanentes e temporárias, ainda oferece um lindo jardim!

O Museu Calouste Gulbenkian, na Avenida de Berna, em Lisboa, é dividido, basicamente, em duas partes: a Coleção do Fundador e a Coleção Moderna. A coleção do fundador, o empresário e colecionador de arte Calouste Sarkis Gulbenkian (1869-1955) reúne peças que o mesmo coletou nas viagens que fez pelo mundo. A exposição permanente é formada por esculturas, telas e peças de origem greco-romana, egípcia e islâmica. Além disso, há pinturas de mestres holandeses, porcelana Qing, arte impressionista e um salão dedicado às jóias do designer francês René Lalique.  

A Coleção do Fundador é considerada uma das melhores coleções particulares do mundo, com mais de seis mil obras desde a Antiguidade até o século XX. Tal coleção situa-se na zona norte do jardim Gulbenkian, num prédio inaugurado em 1969. As galerias são distribuídas por ordem cronológica e organizadas geograficamente. Só esta parte do museu já vale a visita!

Onde fica? Coleção do Fundador: Avenida de Berna, 45A | Lisboa

Visitas à Coleção Moderna somente a partir de 2022

Entretanto, o Museu Calouste Gulbenkian também tem um espaço destinado à Coleção Moderna, considerada a mais completa do género em Portugal. O acervo reúne arte britânica do século XX, além de obras de Amadeo de Souza-Cardoso, Paula Rego e Vieira da Silva. A coleção, todavia, continua a aumentar através de novas aquisições e doações. 

Porém, quem deseja visitar esta parte do museu, terá de esperar um pouco. É que a Coleção Moderna está fechada para obras no edifício e na parte sul do jardim. A reabertura está prevista apenas para 2022.

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

Em dias de sol, para além de respirar cultura no Museu (sempre de máscara, claro!), aproveite para respirar natureza no Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian. Na entrada, pela Avenida de Berna, certamente vai ter vontade de se sentar na relva junto aos patos que vivem por lá. Estes estão habituados ao movimento dos visitantes e circulam próximos às pessoas sem nenhuma cerimónia. O Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian foi construído na década de 60 e é considerado uma referência na arquitetura paisagista de Portugal.

Para ficar a saber melhor como este sítio foi projectado, visite o Centro Interpretativo Gonçalo Ribeiro Telles, que fica no Jardim. Trata-se de um espaço multimédia para que o público possa perceber como o projecto arquitetónico foi pensado. A experiência acontece por meio de recursos audiovisuais. 

Para os miúdos, este vem a ser um excelente programa, visto que uma das salas forrada de cortiça é destinada justamente à criatividade dos mais pequenos. Nesta sala, há três lupas que mostram recantos do Jardim impossíveis de descobrir sem este recurso. E para fazer aquela pausa, o Centro Interpretativo tem também uma cafetaria com esplanada.

Informações sobre bilhetes e como planear a sua visita aqui.

Que tal explorar este sítio em Lisboa? Lembre-se que todas as atividades exigem o uso de máscara.

Let’s Take a Ride?

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *